Gafes de maquiagem #1 – Lábios

Algumas coisas eu vejo por aí e me pergunto por que diabos as pessoas fazem isso com elas mesmas. Não sei até onde vai a falta de informação ou o gosto pessoal. Mas que é difícil você ver essas coisas e não fazer cara feia… Eike difícil.

1) Lápis labial escuro + batom claro

E acontece com as melhores pessoas.

 

O olho roxo da Christina está lindo, mas o contorno dos lábios… O lápis deve sempre ser o mais próximo da cor do batom possível. Qual seria o motivo estético de colocar um contorno mais escuro no lábio? Desenhar melhor? Definir melhor? A maquiagem serve para realçar aquilo que temos de melhor. Ninguém naturalmente tem o contorno labial destacadamente mais escuro que o lábio. Somente o fato de usar um lápis para desenhar o lábio já o define. A cor precisa ser igual ao batom exatamente para passar a ideia de que o lábio é desenhado perfeitinho. Sacou? 🙂

Dicas para bombar os lábios são (lembrando que brilho/branco aumenta, opaco/preto diminui):

  • iluminador ao longo do lábio no arco do cupido (vezinho do lábio superior): isso dá a ilusão que o lábio superior é maior.
  • gloss somente no centro do lábio sobre o batom: após o batom, se usarmos um gloss incolor (ou da mesma cor do batom) apenas no centro do lábio da a impressão que ele é maior.

2) Lápis por fora da linha do lábio

Se seu lábio é fino, uma fina linha de lápis por fora da linha labial faz o trabalho de aumentá-los. A minha diva Lisa Eldrige tem um vídeo sobre olhos esfumados para olhos encapsulados em mulheres maduras, mas ela faz esse truque na modelo ao passar o duo lápis + batom. Se feito direitinho, sem exageros, o truque funciona:

Mas quando não funciona…

Resenha: Primer Panvel MakeUp

 

Desde que a Panvel lançou um primer eu queria testar. A grande maioria dos produtos da marca Panvel é boa: tônico facial, demaquilante, hidratante, xampu… O primer não é o melhor primer que você já usou, no meu caso foi o Porefessional da Benefit, mas é um bom primer por um preço.

O que diz o fabricante?

 

Descrição: o Primer Panvel Make Up forma uma película leve e invisível sobre a pele [1], diminuindo visivelmente a percepção das linhas superficiais, através de um disfarce óptico [2]. Auxilia na fixação da maquiagem [3]. Tem rápida absorção, textura sedosa [4] e uma sensação única de conforto e maciez [5].

Modo de Uso: aplique uma camada fina do Primer Facial imediatamente antes da maquiagem a ser utilizada. Experimente uma melhor performance de sua maquiagem e uma fixação da mesma por mais tempo.

Composição: Aqua/Water, Edta, Methylparaben, Glycerin, Caprylic/Capric Tryglyceride, Dimethicone, Tribehenin, Cetearyl Alcohol, Potassium Cetyl Phosphate, Butyrospermun Parkii Butter, Octyldodecanol, Hydrogenated  Polyisobutene,  Dimethicone/Vinyl Dimethicone Crosspolymer (and) Silica, Sodium polyacrylate (and) Dimethicone (and) Cyclopentasiloxane (and) trideceth-6 (and) Peg/Ppg-18/18 Dimethicone, Aqua/Water (and) Glycerin (and) Sodium Lactate (and) Lactic Acid (and) Tea-Lactate (and) Serine (and) Urea(and) Sorbitol (and) Sodium Chloride (and) allantoin (and) Sodium Benzoate, Bht, Propylparaben, Diazolidinyl Urea, Cyclopentasiloxane, Fragrance/Parfum. Pode Conter: Butylphenyl Methelpropional, Hexyl Cinnamal, Citronellol, Linalol, Geraniol.

Sobre os itens [1], [4] e [5]: todos aprovados. O primer realmente forma sim uma película leve e invisível sobre a pele. A pele fica com uma sensação macia e aveludada. Como eu tenho a pele oleosa, o tal do conforto só vem quando o primer foi todo absorvido pela pele, o que acontece rápido.  A textura do primer é siliconada. Eu gosto muito dessa textura para um primer. A sensação que me passa é que a oleosidade natural fica mais tempo longe da maquiagem. Um item que não é mencionado na descrição do fabricante, por um bom motivo, é que a película formada pelo primer deveria segurar minha oleosidade. Afinal, apesar da mídia somente focar no disfarce óptico, o primer tem essa função em primeiro lugar. O primer da Panvel não tem mesmo essa função.

Sobre [3]: nenhum primer que eu já usei fez com que a maquiagem durasse mais que 6h nos dias mais quentes e mais que 8h nos dias mais frios. Eu também nunca senti aquela sensação de “minha base desliza muito mais fácil quando uso um primer”. A diferença que sempre sinto é o disfarce óptico. Por ter pele oleosa eu tenho poros muito bem dilatados perto do nariz. É nesse quesito que os primers me ganham. Quem consegue mais disfarce óptico, leva meu dinheiro e meu coração.

O primer da Panvel no quesito disfarce, para mim, é nota 5. Ele dá uma disfarçada legal nos meus poros menores, mas os maiores não sentem muita diferença. Ele tem uma granularidade maior que a do Porefessional, se isso faz sentido, e eu acho que é por isso que ele não consegue disfarçar tanto os poros maiores.

Nota final: 7.

Como substituir seu corrector Peach Bobbi Brown

Meu dias de glória estão acabando porque meu corrector Bobbi Brown está acabando. O mais parecido, num tiro muito muito longe, era um corretivo laranja de uma paleta de corretivo da Victoria’s Secret. Aí comecei a trabalhar com o corretivo laranja.

Foto por Qual Reviewer

Quando eu comprei essa paleta em janeiro, ela era bem boa. O corretivo deslizava na pele. Amei a paleta.
Mas com o tempo, ela começou a ficar grudenta e sempre crisava na área dos olhos. Achei que era a diferença de temperatura, mas ao ler a review do Qual Reviewer, a paleta fica mais grudenta e o produto crisa na pele. Como era o que eu tinha para trabalhar, tentei diversas técnicas: passar um pó para tentar tirar a grudentice e evitar crisar, misturar com outros produtos mais líquidos, usar pouco produto…

O resultado, claro, não era nada aos pés do Peach.
Nesse meio tempo, eu comprei o kit de make de pele da Koloss, o qual me deixou extremamente decepcionada. Mas a cor e a textura do corretivo ficaram na minha mente. Acabei comprando um pozinho corretor de cor pêssego da The Body Needs, mas ainda não testei na pele a combinação dos dois. Fiz uma mistura deles em um cd e ela pareceu dar certo.

Mais meio tempo depois, eu fiz umas comprinhas na Cherry Culture (minha lojinha favorita) e comprei o corretivo laranja de alta cobertura da NYX. Fui fazendo minhas experiências para tentar construir um corrector Bobbi Brown Peach para mim. Existem algumas ofertas no mercado sobre corretivos cor pêssego, como o da Contém 1g por R$55, o mesmo preço (convertido) do corrector e não tem o mesmo desempenho. Tem uma paletinha de corretivos da Avon que tem um na cor pêssego, mas esse não cheguei a testar.

Aí seguem meus testes para achar um produtinho tão bom quanto meu querido corrector:

 

A primeira foto é a falta de diginidade da pessoa em se mostrar na internets sem nada no rosto. Dá pra ver que a área ao redor dos meus olhos é mais escura que a grande parte do meu rosto.

Na segunda foto, apliquei o corretivo laranja em um lado e o Peach do outro apenas.

Na terceira foto, apliquei o corretivo cretino da Koloss sobre o corretivo laranja. O resultado foi quase parecido com a cor que o Peach tem.

Na última foto, depois da aplicação da base (Maybelline Fit), eu usei um pouquinho do meu corretivo Duda Molinos (marrom 01) para cobrir o pouco do laranja que ficou sobrando.

Eu achei que o resultado final ficou muito bom na minha pele. Achei um bom substituto para meu querido corrector Peach Bobbo Brown.

Sobre olheiras, corretivos e pans

A Fran é minha amiga da faculdade. Eu devo ter falado alguma coisa em alguma rede social sobre meu corrector da Bobbi Brown e isso ocasionou uma troca de email entre a gente sobre corretivos. Ela me disse as olheiras dela são bem marrons, coisa hereditária, e estão ficando cada vez piores!. Foi nesse email que eu sugeri que ela fizesse um teste muito bobo:

com uma colherzinha de café de plástico:
     1) raspa um pouquinho de corretivo e coloca numa superfície (prato, pote, bandeja de frios limpa…)
     2) limpa a colher
     3) olhando a roda das cores, raspa uma sombra da cor que cancela a tua olheira. se a sombra for matte é melhor porque fica mais parecido com o produto que tu precisa comprar, mas pode ser uma sombra com brilho que tu não usa muito. afinal, é só pra testar o cancelamento das cores.
     4) mistura bem essa sombra no corretivo e passa na olheira
     5) passa o corretivo normal (ou base) por cima e avalia o resultado
vai parecer um mundo de produto num lugar só, mas a ideia dos corretores/corretivos coloridos é cancelar/amenizar a cor da coisa que tu quer cobrir. tu não quer cobrir a olheira com corretivo verde, por exemplo. então é bem pouquinho de produto. aquele suficiente pra ficar esquisito e, quando tu passa o corretivo da tua cor de pele, aí que vem o resultado.

Por isso, o comentário da Fran no blog (se você quiser lê-lo inteiro, clica aqui):

Passei umas duas horas na frente do espelho e cheguei a algumas conclusões. Eu já tinha testado corretores coloridos e nunca tinha ficado completamente satisfeita, mas nunca tenha tentado direito mais do que um ao mesmo tempo. Descobri que as minhas olheiras ficam bem melhor camufladas com uma combinação entre corretivo verde e amarelo (patriota eu, né?). (…) Depois de camadas de corretor, base e corretivo, ainda se vê um pouco de roxo (mais pro rosa do que pro azul).

Ontem consegui ir a uma Sephora com Bobbi Brown e comprei o corretor. (…) acabei comprando o “light bisque” que a vendedora insistiu que era o certo pra mim. Hoje o experimentei pela primeira vez e achei que realmente o tom é o certo pra minha pele (o porcelain seria muito claro), mas a cor talvez não. (…) O problema é que, depois de cobrir com base e corretivo da cor da minha pele, eu ainda consigo ver um tom avermelhado (claro, EU vejo, olhando de perto no espelho. O namorado jura que tá perfeito). (…)

Por outro lado, SDS (que já ajuda a cobrir um pouco) + corretor BB + base (que cobre bastante) + corretivo (líquido, Fit Me da Maybelline) e ainda se vê olheira!!! (…)

Depois de ver esse teu post, há uns dias, fiquei pensando sobre o meu grau de exigência com cobertura. Passei a reparar nas olheiras de todo mundo na rua, na televisão, nas revistas. E a minha conclusão é que não existe essa cobertura toda que eu tô querendo (algo tipo um photoshop em potinho)… =P

Nas tuas fotos, a olheira não sumiu completamente, ainda existe uma sombra. E não tá feio, nem estranho, é o normal. O osso de cima do olho (nunca sei como chamar, o meu é bem pra frente) naturalmente faz uma sombra no lugar, sem falar na “profundidade” das olheiras (eu tenho as bochechas bem saltadas) que dificulta deixar tudo igual. (…)
O objetivo da maquiagem nas olheiras não seria fazê-las desaparecer completamente, mas apenas amenizar o problema pra que não fique chamando a atenção (que deveria estar nos olhos, na boca, etc).
O que tu pensas sobre isso?

Dito isso, estou satisfeita com o que eu consigo cobrir normalmente para o dia-a-dia. No entanto, para ir a alguma festa ou tirar fotos, eu ainda gostaria de cobrir mais.
No livro da Bobbi Brown, ela sugere que para olheiras muito escuras se use os dois corretores (peach e bisque), um por cima do outro. Por isso nem briguei muito com a vendedora e comprei o bisque, já estava nos meus planos ter os dois
Já tentaste isso (em ti ou em outra pessoa)?

Como diria Jack, vamos por partes.

Primeiro: O que tu pensas sobre isso?

Uma das primeiras coisas que eu pensei ao ler o teu comentário, Fran, foi que maquiagem não tem função 3D literal, ou seja, ela não preenche a profundidade do seu rosto. O primeiro exemplo que vem à cabeça para demonstrar isso é a Juliana Paes de verdade e na propaganda da Vivara.

Juliana Paes em diversas mulheres

Ela TEM bolsas abaixo dos olhos. Sempre teve, sempre terá. E nem sei se isso se resolve definitivamente com cirurgia. O ponto é: cadê as bolsas que a caracterizam tanto na propaganda da Vivara? Foram removidas com acúmulo de maquiagem para nivelar a pele? Claro que não! Em todas as outras fotos que ela está maquiada, as bolsas estão ali. Não tem o que fazer para esconder. Acho que nem com a base de maior cobertura do universo nivela bolsas. Agora, as olheiras dela, sim. Essas sim estão muito bem escondidas. E gostaria de deixar bem claro que eu acho a Juliana Paes uma das mulheres mais lindas do país. Com ou sem maquiagem. Aliás, é exatamente isso que define uma mulher linda: a maquiagem não faz diferença. Só melhora, não transforma.

Uma das primeiras coisas que precisamos separar é que maquiagem de pele corrige cor, não corrige faltas ou demasia de pele. Se isso faz sentido. Isso que as revistas vendem é Photoshop na sua grande maioria! Apesar de eu saber disso, quando eu olho uma revista eu preciso sempre me lembrar em voz alta disso. Eu tenho marcas nos olhos. A minha olheira, eu tapo com corretivo, agora a marca que ela faz… Eu não tenho o que fazer. Talvez aplicando uma base com uma cobertura mais alta, dê uma disfarçada. Mas eu não pretendo vir trabalhar parecendo que saí do Photoshop. Assim que eu tiver uma base com uma cobertura mais alta, eu faço esse teste e mostro aqui. A base com maior cobertura que tenho é a StudioFix Fluid da MAC e ela é cobertura média.

Outra coisa para separarmos é nossa autocrítica. Realmente, Fran, corretivo Photoshop like eu acho que ainda não tem… 🙂 Acredito que nem a Grafitobian consegue fazer algo nesse nível. E olha que é uma das melhores marcas de base/corretivo existentes. (Aliás, eu acho que é uma marca que você pode tentar achar por aí!) Ninguém vai catar a cara da gente numa festa pra olhar bem de pertinho e com lupa e te dizer: “é amiga, aqui na sua olheira *aponta* tem um espectro de vermelho”. Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta, o coração tranquilo e a olheira camuflada o suficiente para que alguém que passe por você na rua pense “nossa, que cara boa a dessa menina!”.

Segundo: Já tentaste isso (em ti ou em outra pessoa)?

Sobre a ideia da Bobbi de usar os dois corretivos, eu concordo com ela porque o que ela prega faz muito sentido. Atualmente tenho alterado aos poucos minha rotina de pele por conta do fim do meu corrector Peach. #todaschora. Eu tenho uma paleta de corretivo da Victoria’s Secret. (Dica: fujam dessa paleta. É o pior produto que já tive para aplicar). E essa paleta tem um corretivo laranja. Desde então tenho feito testes com o corretivo laranja no intuito de achar um substituto pro falecido Peach. Eu usava apenas o Peach para olheiras antes da base. E, poucas vezes, usava um corretivo da cor da minha pele, Duda Molinos, depois. Mas sempre achava que ao  passá-lo acabava adicionando um quê de sombra e a área não ficava iluminada.

Minha nova rotina de cobrir olheira consta em usar o corretivo laranja de alta cobertura da NYX aliado àquele corretivo cretino da Koloss, mas ele tem a cor perfeita para fazer o laranja ficar pêssego e ainda iluminar a área abaixo dos olhos. Daí acreditar na tia Bobbi: se você olhar na roda das cores o espectro de laranjas consegue cobrir tons diversos de azuis, verdes e roxos. Usar o Light Bisque, no seu caso Fran, faz o trabalho de acertar o tom da sua pele, mas eu acho que o Peach ia ser muito escuro pra ti. Mas como eu não lembro o quão escuras são suas olheiras… 🙂 Eu acho que vale a pena tentar os dois sim.

Sobre os ossos que fazem sombra… Ilumina, gata! Já diria Paola Gavazzi. Mas você não precisa iluminar com produtos que tem partículas brilhosas ou reflexivas. Algo um pouco mais claro que o seu tom de pele e sem brilho também funciona. Por exemplo: na pálpebra, Fran, você pode usar uma sombra que é pouca coisa mais clara que a sua pele bem esfumado. Para iluminar a maçã do rosto, pra mim, o mais indicado é o iluminador mesmo. Talvez um pó da cor da sua pele, mas com fundo amarelado chutando. Digo isso porque a Bobbi tem um conjuntinho de corretivo + pó amarelado para iluminar. Colocar um pó facial mais claro pode dar a impressão de panda invertido.

Fico pensando que é bem desafiador fazer um contorno no seu rosto, Fran, pra disfarçar um pouco as maçãs do rosto. Todo mundo quer afinar o rosto, que é colocar o contorno abaixo da maçã… 🙂 A única coisa que vem rápido na minha mente é usar blushes sem partículas brilhosas ou reflexivas e de tom frio ou pó queimador como blush tudo um pouquinho abaixo do osso zigomático

Para concluir: lembrem-se, é só maquiagem!

Comparação: looks das paletas Naked

Vocês viram que eu tenho duas paletas Naked da Urban Decay: uma falsa e uma verdadeira. Essa semana, eu consegui acordar duas vezes com tempo para fazer um olho com sombra para ir trabalhar. Fiz o mesmo look com as mesmas sombras das duas paletas. Usei a Sin no canto interno para iluminar, Buck do canto interno até o centro da pálpebra, Darkhorse da metade da pálpebra para o canto externo e Smog no centro da pálpebra para brilho. Aproveitei para testar os pincéis e usei o primer da UD que vem com a paleta verdadeira.

Na hora da aplicação, as sombras da UD são:

  • macias: apenas passar o pincel sobre a sombra com uma leve pressão é o suficiente;
  • não esfarelam excessivamente: o que sobra é facilmente pego por você com o pincel não ficando farelinhos perdidos no estojo;
  • muito pigmentadas: o que restou no pincel após a aplicação da Darkhorse foi quase suficiente para aplicação na linha dos cílios inferiores;
  • duração incrível: a Smog ficou no canto interno até o meio-dia!;
  • transferem bem tanto para o pincel quanto para a pele.

O pincel Good Karma é muito bom para aplicação com batidinhas e para passar na linha dos cílios inferiores. Pelo formato e pouca maleabilidade das cerdas, obviamente, ele não esfuma. E eu acho que esse foi o dia que eu tomei chuva na volta pra casa…

Antes por volta das 8h e depois por volta das 21h
Antes por volta das 8h e depois por volta das 21h

Na hora da aplicação, as sombras da Naked Made In China são:

  • macias: mas não tão macias quanto as verdadeiras sombras UD;
  • esfarelam: ao passar o pincel, elas esfarelam mais que as verdadeiras, mas também dá para pressionar o pincel sobre os farelos para pegá-los;
  • bem pigmentadas: achei a pigmentação excelente, mas acho que por não serem tão macias, para a aplicação, no geral, necessitou mais cor;
  • duração incrível: duraram até o fim do dia. E olha que esse foi um dia LONGO exceto pela Smog que sumiu antes do meio-dia como quase todas as sombras iluminadoras que tenho;
  • transfere bem do pincel para a pele, já da sombra para o pincel precisei de um pouco mais de pressão.

O pincel cópia do Good Karma é tão bom quanto o original. Ele tem as cerdas mais flexíveis que o original, mas não vejo isso atrapalhando na aplicação com batidinhas. Já na aplicação na linha inferior dos cílios, preferi o pincel original por conta da não flexibilidade das cerdas.

Antes por volta das 7h e depois por volta das 22h30
Antes por volta das 7h e depois por volta das 22h30

No fim, as sombras falsas estão quase pau a pau com as verdadeiras, apenas o acabamento de cada sombra que deixa a desejar especialmente nos acabamentos brilhosos. Mas, nem por conta disso, minha raiva de ter comprado uma paleta falsa enquanto achava que comprava uma verdadeira passa.

Resenha: Eyebasic Edição Limitada da Wet N Wild

Eu vi esse conjunto para vender numa Lojas Americanas em São Paulo por 12 ou 15 reais. Não comprei porque achei caro/irrelevante/desnecessário/qualquer outro motivo para não gastar dinheiro. Mas, um tempo atrás, entrei nas Lojas Americanas do shopping Curitiba e tinha outros conjuntos! Um que vinha com um bronzer e outro com tema rosa. Mas, é claro, o kit rosa estava faltando o gloss e o bronzer estava esmigalhado. Tentei comprar com algum desconto, mas não houve conversa. Aí eu trouxe pra casa apenas o kit para olhos por 25 reais.

Voltando para casa, resolvi olhar a embalagem por completo e algo me chamou muito a atenção. Todos os itens são manufaturados por uma empresa chamada Markwins. Chegando em casa, resolvi olhar os outros itens que eu tenho da Wet N Wild e todos eram feitos pela Markwins. Já vi uns conjuntos de sombra da Markwins à venda em lojas online e nos supermercados Walmart aqui em Curitiba. Testarei assim que possível.

Mas esse conjunto… Bem que gostaria de obter meus 25 reais de volta.

O Lápis

Não é o lápis mais pigmentado que já vi e é um dos piores que tenho. Ele é bem comparável ao da NYC, marca americana baratinha de farmácia, que é tão ruim quanto. Se você risca bem ele na mão, ele pigmenta valendo, mas não é esse traço que você faz na sua pálpebra. Você pode ficar passando o lápis várias vezes sobre o mesmo risco na pálpebra, mas eu não tenho essa paciência. Eu quero que o risco já saia 80% pronto do lápis.

O primeiro quadrinho na direita tem o risco poderoso na mão (segundo) e um risco factível em uma pálpebra (o terceiro). O primeiro risco foi um teste de ver o quanto ele borra na sequência que é riscado e… bem. Ele pode vir a fazer um bom estrago na maquiagem. O último era pra ver o quanto o lápis esfuma. E ele até que esfuma bem, mas tem de haver o cuidado para não removê-lo inteiro da pele. Ele não tem uma fixação boa. O segundo quadro eu passei o dedo depois de algum tempo do produto aplicado. Não foi uma beleza de tempo, mas deve ter dado entre 5 a 10 minutos. Desempenho blé. No entanto, sai com facilidade com sabão e água (ou seja, não é à prova de água) ou no demaquilante bifásico como na foto. Percebam que a minha mão não ficou vermelha de tentar retirar o produto.

A duração dele até que é boa dentro de todas as coisas que eu não gostei, mas ele realmente vai sumindo durante o dia quando não é usado primer. Eu tenho uma pálpebra oleosa e tudo vai sumindo durante o dia. Com o uso do primer antes da aplicação do lápis ele segura um pouco mais.

Duas aplicações com uma leve esfumada por volta das 8h da manhã
Mais de 12h de aplicação depois…

A Máscara

Ela é uma máscara alongadora. Só alongadora. Você passa, passa, passa e só alonga.

Não é meu tipo favorito de máscara ainda mais com tanta máscara alongadora E volumadora (??) no mercado. A escova dela é bem espaçada e a máscara em si, quando aberta é bem molhada e pesada. Por isso, ela não segura muito a curva feita com o curvex nos cílios. Passa o tempo, a máscara seca pouco, mas ainda continua molhada, sabe? Ela já segura um pouco mais a curva, mas não é lá uma grande maravilha. O líquido da máscara é realmente pesado. No quesito duração, para uma máscara não à prova d’água, ela aguenta bem. A máscara que eu estava usando para os testes do lápis é essa aqui. Sai muito bem com água, sabão e um pouquinho de demaquilante bifásico. Depende de quantas camadas você passar.

Duas aplicações de máscara às 8h

O Apontador

Aponta bem um lápis. Único item que eu não tenho o que reclamar. 🙂

Teoria das Cores por Marvin G. Westmore

Marvin G. Westmore é um maquiador muito respeitado em Hollywood. Seu primeiro trabalho data da década de 60 e tem, entre seus trabalhos, a maquiagem de Blade Runner e 14 episódios em MacGuyver. Ele tem um blog, que escreve pouco, mas as informações que existem lá são ótimas.

Um artigo maravilhoso que ele escreveu é o Color Theory in the World of Makeup. Ele diz que antes de aprender a teoria das cores aplicada à maquiagem, é necessário entender alguns elementos que compões as cores antes. São eles o elemento do pigmento; das três dimensões da cor; da harmonia entre cores; e da reflexividade da cor.

Fonte: Portal da Maquiagem

1) Pigmento: existe em todos os produtos de maquiagem, seja qual for a principal base do produto (aquosas, oleosas, cerosas, cremosas, em bastão, cake ou mineral). É o pigmento que dá cor à própria cor e a teoria das cores funciona para todos não importando sua fonte (natural, químico ou mineral).

2) As Três Dimensões da Cor:

Matiz (hue)— o nome da cor, exemplo: vermelho, laranja, amarelo.
Intensidade — o brilho ou a falta de intensidade de uma cor, a medida da pureza da cor, saturação.
Valor— quão clara ou escura a cor é, corresponde ao valor dessa cor convertido em um determinado tom de cinza.

Todas as cores tem um valor de cinza. Pense nessa cor numa foto preta e branca. É esse valor que dá profundidade e dimensão para o que você vê e também provê o contraste na relação luz e sombra. Na maquiagem, as cores precisam ser selecionadas de modo a não terem o mesmo valor de cinza para não resultar num rosto não interessante, com aparência de lavado e com falta de definição.

3) Harmonia Entre Cores: a palavra harmonia se refere às partes que são esteticamente agradáveis aos sentidos de visão, som, toque, gosto e cheiro. No mundo das cores, a harmonia é o que agrada a visão e a emoção: calmo ou excitante, frio e refrescante, quente e emocionante, etc. Com isso, separamos a harmomia em cinco categorias:

  • Análoga (Analogous): a partir da cor escolhida na roda das cores, qualquer matiz duas cores à direita ou à esquerda; para um look de dia ou de trabalho
  • Monocromático (Monochromatic): variações no valor e na intensidade de uma única cor; para um look chique ou elegante
  • Complementar (Complementary): cores opostas em posição na roda das cores; para um look mais sexy e sensual
  • Triádico (Triadic): quaisquer três cores na roda das cores que formem um triângulo equilátero entre si; para um look mais divertido e colorido
  • Acromático (Achromatic): um esquema de cores com preto, branco e cinza — ou quaisquer três cores da mesma matiz que vá do mais claro ao mais escuro; para um look elegante e sofisticado

4) Reflexividade da Cor: existem seis tipos de reflexividade. Quanto mais reflexiva é a cor, mais ela se sobressai:

  • Fosco (Matte): sem brilho e pode ser opaco ou translúcido
  • Brilhante (Shiny): efeito tipo gloss
  • Metálico (Metallic): altamente reflexivo, brilhante e opaco
  • Opaco (Opaque): opaco 🙂
  • Translúcido (Translucent): dá a idéia de névoa, levemente cristalino
  • Transparente (Transparent): cristalino como vidro

Sabendo dessas informações, temos mais qualidade na hora de escolher o make. Pode ser um guia para a seleção das sombras, blush e batom ou na seleção das sombras que comporão o make. Até tem como escolher a melhor cor de corretivo para a sua olheira. O cancelamento de cores funciona com o oposto: para cancelar o vermelho da espinha, usamos o corretivo verde, certo? Na roda das cores, elas são opostas porque estão em locais opostos fisicamente. O negócio é que o vermelho nem sempre é o mesmo vermelho, a olheira nunca é o mesmo marrom, o mesmo violeta para todo mundo todo dia. Fazer o cancelamento dessa cor antes de passar o corretivo da cor da sua pele pode trazer excelentes resultados.

O legal é imprimir uma roda das cores (tem tantas na internet) e deixar pendurada no banheiro ou na penteadeira e ela fica ali, só esperando para nos auxiliar neste nosso ritual.