Vai e volta

Há mais ou menos dois anos e meio atrás, eu me mudei para São Paulo e sabe quando seu mundo cai e quebra em milhões de pedacinhos?

Flocos e meu rack que eu fiz e que amo tanto (e que é uma bela bagunça)
Flocos e meu rack que eu fiz e que amo tanto (e que é uma bela bagunça)

Num resuminho, eu realizei um sonho que tinha há muito tempo e com isso eu me separei, perdi interesse nas coisas que eu mais gostava e em mim mesma, entrei num relacionamento abusivo, entrei em depressão porque fui negada num processo para trabalhar fora do país, fui demitida ao final do tempo de experiência sem um tostão guardado, perdi alguns quilos caminhando para deixar meu currículo como maquiadora e cabeleireira em salões perto de casa e não fui chamada para nenhum deles, lancei uns 100 currículos para a área da TI e devo ter feito umas 4 entrevistas, fui contratada logo antes do natal num banco, conheci pessoas incríveis que jamais achei que trabalhariam aqui, fiz mais horas extras do que em toda minha carreira como desenvolvedora de software, estudei finanças pessoais, encontrei a EPP como estilo de vida, passei a exercitar a gratidão, descobri quem eu sou, aprendi a meditar, saí do relacionamento abusivo, me mudei de apartamento, fiz cursos incríveis de maquiagem, me reencontrei e voltei a amar a beleza.

Dentro dessa montanha, fiquei meses pensando no que fazer com esse espaço. Pensei em fechar, em continuar, em fazer diferente, mas nenhuma das opções me deixava feliz. Então fiz o que sei fazer bem: se eu não sei o que fazer, deixa estar. Já diria o Gato Cheshire: se você não sabe para onde ir, qualquer caminho serve.

Hoje foi o dia que eu descobri o que fazer.

Me aguarda que eu tô voltando. 🙂