Teoria das Cores por Marvin G. Westmore

Marvin G. Westmore é um maquiador muito respeitado em Hollywood. Seu primeiro trabalho data da década de 60 e tem, entre seus trabalhos, a maquiagem de Blade Runner e 14 episódios em MacGuyver. Ele tem um blog, que escreve pouco, mas as informações que existem lá são ótimas.

Um artigo maravilhoso que ele escreveu é o Color Theory in the World of Makeup. Ele diz que antes de aprender a teoria das cores aplicada à maquiagem, é necessário entender alguns elementos que compões as cores antes. São eles o elemento do pigmento; das três dimensões da cor; da harmonia entre cores; e da reflexividade da cor.

Fonte: Portal da Maquiagem

1) Pigmento: existe em todos os produtos de maquiagem, seja qual for a principal base do produto (aquosas, oleosas, cerosas, cremosas, em bastão, cake ou mineral). É o pigmento que dá cor à própria cor e a teoria das cores funciona para todos não importando sua fonte (natural, químico ou mineral).

2) As Três Dimensões da Cor:

Matiz (hue)— o nome da cor, exemplo: vermelho, laranja, amarelo.
Intensidade — o brilho ou a falta de intensidade de uma cor, a medida da pureza da cor, saturação.
Valor— quão clara ou escura a cor é, corresponde ao valor dessa cor convertido em um determinado tom de cinza.

Todas as cores tem um valor de cinza. Pense nessa cor numa foto preta e branca. É esse valor que dá profundidade e dimensão para o que você vê e também provê o contraste na relação luz e sombra. Na maquiagem, as cores precisam ser selecionadas de modo a não terem o mesmo valor de cinza para não resultar num rosto não interessante, com aparência de lavado e com falta de definição.

3) Harmonia Entre Cores: a palavra harmonia se refere às partes que são esteticamente agradáveis aos sentidos de visão, som, toque, gosto e cheiro. No mundo das cores, a harmonia é o que agrada a visão e a emoção: calmo ou excitante, frio e refrescante, quente e emocionante, etc. Com isso, separamos a harmomia em cinco categorias:

  • Análoga (Analogous): a partir da cor escolhida na roda das cores, qualquer matiz duas cores à direita ou à esquerda; para um look de dia ou de trabalho
  • Monocromático (Monochromatic): variações no valor e na intensidade de uma única cor; para um look chique ou elegante
  • Complementar (Complementary): cores opostas em posição na roda das cores; para um look mais sexy e sensual
  • Triádico (Triadic): quaisquer três cores na roda das cores que formem um triângulo equilátero entre si; para um look mais divertido e colorido
  • Acromático (Achromatic): um esquema de cores com preto, branco e cinza — ou quaisquer três cores da mesma matiz que vá do mais claro ao mais escuro; para um look elegante e sofisticado

4) Reflexividade da Cor: existem seis tipos de reflexividade. Quanto mais reflexiva é a cor, mais ela se sobressai:

  • Fosco (Matte): sem brilho e pode ser opaco ou translúcido
  • Brilhante (Shiny): efeito tipo gloss
  • Metálico (Metallic): altamente reflexivo, brilhante e opaco
  • Opaco (Opaque): opaco 🙂
  • Translúcido (Translucent): dá a idéia de névoa, levemente cristalino
  • Transparente (Transparent): cristalino como vidro

Sabendo dessas informações, temos mais qualidade na hora de escolher o make. Pode ser um guia para a seleção das sombras, blush e batom ou na seleção das sombras que comporão o make. Até tem como escolher a melhor cor de corretivo para a sua olheira. O cancelamento de cores funciona com o oposto: para cancelar o vermelho da espinha, usamos o corretivo verde, certo? Na roda das cores, elas são opostas porque estão em locais opostos fisicamente. O negócio é que o vermelho nem sempre é o mesmo vermelho, a olheira nunca é o mesmo marrom, o mesmo violeta para todo mundo todo dia. Fazer o cancelamento dessa cor antes de passar o corretivo da cor da sua pele pode trazer excelentes resultados.

O legal é imprimir uma roda das cores (tem tantas na internet) e deixar pendurada no banheiro ou na penteadeira e ela fica ali, só esperando para nos auxiliar neste nosso ritual.